quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Procura-se um amor que tenha cor de mel, veneno no sabor e açúcar pro meu fel

Acho que já deixei bem claro que eu tô meio (muito, pra caralho) desiludida com os prognósticos para o meu futuro amoroso, ~de modos que~ eu tô sinceramente propensa a achar que eu não apenas nunca mais vou namorar como, num futuro distante, vou morrer e vão demorar uns três dias pra notar o meu sumiço já que o único ser vivo que terei por perto será o meu futuro cachorro - que vai ser o motivo pras pessoas arrombarem a porta de casa, já que ele vai latir, uivar e sentir muita falta da pessoa que o alimentava e DEUS SABE o quanto meus vizinhos odeiam bichos que fazem barulho... Enfim... DIVAGO.

Vale dizer apenas que eu nunca mais vou namorar, seja porque eu tenho um nível de exigência pra um namorado que pode ou não ser um pouco alto, seja porque eu tenho um dedo podre pra caralho e caio sempre nos mesmos dois ou três tipos de caras dodóis. Não vou namorar de novo, perdão aos defensores do ciclo da vida que, por ventura, se sentirem ofendidos com essa pequena verdade.

Mas é que eu já tentei de tudo, de verdade. Já tentei me envolver com gente que me deixava louca de paixão, louca de tesão, louca louquinha, gente que já me fez viver num constante estado de calma, gente que me fez chorar enlouquecidamente e passar vergonha por fazer isso em lugares públicos, gente pra quem eu signifiquei muito e - um monte de gente - pra quem eu não signifiquei nadinha. Já tentei todos os tipos de caras (porque, infelizmente, eu fui amaldiçoada com esse problema chamado heterossexualidade e não consigo me interessar por mulheres, seres muito mais adoráveis e menos escrotos) e apenas três deles chegaram perto o suficiente de me proporcionarem a ÚNICA coisa necessária pra eu ser feliz num relacionamento. E vocês sabem o que é isso? Estão preparados pra saber?

Eu quero alguém que melhore a minha vida, mas que NÃO SEJA o motivo da minha vida ser melhor. Eu não consigo CONCEBER a ideia de alguém que entra na minha vida apenas para melhorar, que seja a razão das coisas serem melhores. Porque, meu Deus, imagina quando essa pessoa for embora (as pessoas sempre vão embora, de um jeito ou de outro)! Imagina que horror você saber que boa parte da sua alegria dependia de alguém que por algum motivo ou outro não está mais lá. Complicado, caras.

Eu quero - e idealizo - essa pessoa que, quando chegar, vai expandir o meu mundo. Vai colocar mais um slot de alegria, não ocupar algum que eu já tenha. Alguém que tenha CONFIANÇA EM MIM e em quem eu consiga confiar, né? Eu não tenho pretensão nenhuma de sair com alguém que não seja dodói (até porque as pessoas da minha idade já tão bem danificadas pela vida), mas eu espero que essa pessoa SAIBA que é dodói, que eu também sou e que esteja disposta, assim como eu estarei, de encaixar as dodóizices de um jeito que as coisas dêem certo (pelo tempo que tiverem que dar), pra gente ser O ADICIONAL DE ALEGRIA na vida um do outro. Eu quero esse cara que seja capaz de mandar um "Beatriz, põe a mão na consciência" quando eu precisar botar a mão na consciência, e quero alguém que valorize as minhas opiniões, que tenha orgulho da pessoa que eu sou e que seja capaz de despertar em mim alguma coisa melhor, alguma coisa que me faça acreditar que eu até posso morrer sozinha sendo descoberta três dias depois porque o cachorro latiu e incomodou o vizinho mas que, caso os espíritas estejam certos, vá me encontrar do outro lado nem que seja pra zombar da minha situação (porque o cara que eu idealizo tem humor o suficiente pra sacar o riso da situação).
Eu quero alguém que não dependa de mim, Alguém que compartilhe comigo as coisas porque quer, não porque o fato de ser meu "namorado" o obrigue a compartilhar coisas comigo. Quero alguém com quem eu queira compartilhar minhas coisas: Meus pais maravilhosos, minha família (nem tão maravilhosa, nem tão simples, mas MINHA), as músicas que eu gosto e tudo o que faz de mim o que eu sou. E eu juro, eu juro mesmo que eu me jogo de cabeça e compartilho tudo o que a pessoa quiser compartilhar comigo e tô disposta a ser a melhor pessoa do mundo pra essa pessoa. Porque quando eu me sinto apaixonada, quando eu vejo que o lance tem futuro, é muito fácil deixar essa coisa toda amorosa que eu tenho aqui dentro sair pra fora. BIRRRRRRRRL.


Então é por isso que eu não vou namorar nunca mais: Porque eu desisti de achar essa pessoa que vai adicionar felicidade à minha vida ao invés de trazer a felicidade. Paciência.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

PAUSA

http://milarga.blogspot.com.br/2016/08/manic-pixie-dream-girl.html



Não fui eu quem escreveu, mas poderia.
(exceto pela parte do L, porque eu infelizmente ainda estou na parte de ser a vaca que destruiu o coração ou a moça maravilhosa que, infelizmente não foi feita pra namorar)


update, 19h19:

http://www.naoseilidar.com.br/2016/08/telegram-na-vida.html

Não fui eu quem escrevi, mas poderia. Porque eu programei alguns posts aqui bem daoras no mesmo nível "blogueira se descuida e deixa a carência a mostra", fiquem ligadinhos.

domingo, 21 de agosto de 2016

You and me, I can see us dying

A Gwen Stefani e o Toni Kanal namoraram por sete anos e, quando terminaram, continuaram trabalhando juntos no No Doubt. Ela fez "Don't speak" pra ele e foi um baita dum sucesso porque, vamos combinar... É uma letra maravilhosa sobre fim de relacionamentos, só quem tem um chuchu no lugar do coração não se identifica.
Dia desses, enquanto eu botava pra fora numa conversa o quanto eu sou grata aos dois por terem acabado esse relacionamento - se era isso o que era necessário para Don't speak ser composta e gravada e virar o hit que é - um amigo me mandou uma reportagem dizendo que foi completamente terrível para os dois tocarem essa música durante os shows do No Doubt no começo.
Pudera, né?
Imagina você sair em turnê por VINTE E OITO MESES vendo o seu ex-namorado/sua ex-namorada cantando sobre corações partidos e - tan tan tan - foi você quem partiu.
Foda, né?
Pois então.

You and me used to be together, everyday together, always


Eu acho que atualizei minhas definições de fossa e agora vou usar o padrão "Tá, mas tá sofrendo tanto quanto a Gwen e o Kanal tendo que tocar Don't speak e falar dos sentimentos na frente de todo mundo?"
Não. Não estou. E nem ganhando os rios de dinheiro que eles ganharam nesse tempo todo. Caralho, se eu pudesse capitalizar em cima dos meus fracassos amorosos eu estaria RYCA hoje em dia. RYCAAAAAAAAA.

Mas enfim... Eu só fiz esse comecinho porque preciso falar sobre - isso mesmo - FOSSA.
Então vamo lá, vamo mulekada.

__________


Fossas.
Segundo a Wikipédia, quando eu falo de Fossas posso estar me referindo a:

Fossa (anatomia) - elemento anatómico
Fossa oceânica - fossas oceânicas
Fossa (construção) - espaço físico para armazenar detritos (ex: fossa séptica) oriundos de esgotos ou para enterrar defuntos
Fossa olímpica - modalidade de Tiro Esportivo
Fossa (animal) - carnívoro de Madagascar


Mas, como esse blog não é da área de biológicas, não pratica mais a modalidade "namoro com engenheiros", se fosse um animal seria um coala e não um tigrão daora e, embora falar de uma fossa no último dia das Olimpiadas seria um trocadilho que eu totalmente faria, não é de nenhum desses que eu tô falando.

Eu tô falando é de FOSSA DE CORAÇÃO PARTIDO, meus queridos. Daquelas que a gente sente quando alguma coisa na vida amorosa dá errado e a gente se sente só o chicletinho grudado nos vincos do tênis. Sabem como é?
Então.
QUEM NUNCA, né?

Como eu não sei capitalizar em cima das minhas frustrações amorosas, eu faço um ritual bem mais pobre e comum pra sair da fossa. Comigo tem sido eficiente vou passar as coordenadas pra vocês. Porque eu sou legal. 


COMO SAIR DA FOSSA
um Guia por Beatriz Lourenço

1. Vista a fossa como se fosse um moletom confortável e gostoso num dia de frio, chuva e sdds.

Sério, Aceita que dói menos. Você tomou um pé na bunda? O paquerinha te deixou na mão? O amor da sua vida está casando e você não recebeu uma mensagem num cantinho rabiscado no verso do convite de casamento dizendo que ele está casando, mas o grande amor da vida dele é você? Tá tudo errado na sua vida amorosa e você já cogitou seriamente largar tudo e desistir dessa coisa de amor?
Tudo bem, fera. Acontece. De verdade. Pega toda essa fossa e vive de uma vez. Chora se tem que chorar, Amaldiçoa todas as pepecas e/ou pirocas que já existiram no mundo. Diz que ninguém presta nessa vida e que tudo vai dar errado sempre. Diz que foi injustiçado. Diz que o cara/a moça jogou fora o amor que você deu e que isso não se faz. Extravasa. Faça mais drama em um dia do que a companhia Wolf Maia de Teatro em toda a sua existência. Tá liberado.


2. Alugue um amigo
Você conhece um amigo de verdade nos momentos de fossa e tristeza. Amigo bão é o que te escuta fazer todo o drama, te vê chorar e ficar ranhento e esconde o nojinho, te oferece colo, carinho e concorda com você sobre como é injusto o modo como as coisas aconteceram. Não é momento de brigar, de falar que você foi errado. Amigo bom, nesse momento, é o que te deixa soltar os cachorros e não fala nada que faça você refletir. Não é pra mudar o mundo, é só pra liberar a coisa ruim.

3. Ouça música de fossa
Faz parte do "sentir intensamente" e não fingir que tá tudo bem quando não tá. Eu tenho três playlists pra esses momentos dependendo do NÍVEL e do MOMENTO da fossa:

Aqui é pra quando o bagulho tá intenso, o bagulho tá louco, você tá há três dias sem sair de casa, usando o mesmo moletom e não tem a menor intenção de fazer qualquer coisa, exceto se afundar nessa fossa gostosinha e sentir toda a vontade de morrer de uma vez só.
São as músicas mais tristes, o puro creme de sofrimento. Uma curadoria especial do Amigo com alma russa, que é o maior fã de música triste de cortar o coração que eu já vi.

Pra quando rolou uma canalhice maior, pra quando você caiu de boca no asfalto e quebrou o dente da frente, pra quando você tá só o durex descolando. Pra quando você sente vontade de bater em casaizinhos felizes na rua (e não pode fazer isso, tá? EXISTEM LIMITES) e está começando a sentir RAIVA, embora a tristeza ainda esteja ali.

Para quando é uma fossa leve, por uma paixonite boba e coisas que são meio foda de explicar o porquê você entrou na fossa pra começo de conversa (não explica, só sente). Ou pra quando você já passou pelos dois momentos anteriores e já tá superando, mas ainda não tá 100% curado (pode demorar) e de vez em quando tem uma recaída.


4. Releia sua saga literária predileta
Toda vez que eu  percebo a fossa amorosa chegando eu me apego ao Harry Potter, de modos que os amigos mais próximos me vêem com um livro do bruxinho e já sabem que estou lidando com uma fossa. Não há fossa que dure o tempo que levo pra ler os sete livros, no ritmo que eu leio os sete livros. O primeiro é numa tacada, no máximo dois dias (dependendo do dia da semana que eu começar a ler). O segundo, uns quatro dias, O terceiro, idem. Do quarto pra frente eu demoro mais, saboreio mais, fico triste de novo com as mortes e com as cagadas do Harry na fase fossa (da vida, né? Que fodido que o Harry ficou depois dos 15, puta merda. Juntou a adolescência, a responsabilidade que o menino tem com o mundo bruxo, o fato de só ter adultos irresponsáveis perto dele e... Que fase, sabe?). Não há fossa amorosa que resista a ler novamente os trechos das mortes do Sirius, da Edwiges, do Dobby, do Fred e de todo mundo que morreu (não vou citar as mortes mais doloridas. PLMDDS, JK... PRECISAVA MATAR OS DOIS, SUA SEM CORAÇÃO?).
Não há.
Eu já li todos os livros (em PT e EN) mais de uma vez, sei exatamente o que vai acontecer (algumas vezes sei até as frases) e mesmo assim sinto intensamente tudo. Não é mais novidade, mas é INTENSO e eu sei como vai terminar. Harry Potter é tudo o que eu preciso quando a minha amorosa parece um catadão com restos da geladeira que a gente faz quando não tem exatamente muita coisa pra fazer na geladeira.


5, Quando a fossa estiver passando, faça um MEA CULPA
Porque ninguém é 100% culpado e 100% inocente nas cagadas que a gente faz e sofre. A gente SEMPRE tem culpa. Chama o amigo lá de cima de novo, lá do começo, e pede a opinião dele sobre a situação. Tem que ser um amigo DOS BÃO, que te conhece e não tem medo de falar o que você precisa ouvir. Conversa com ele, vê o que poderia ter feito de diferente, o que você poderia ter evitado, o que você fez certinho... Passa essa história a limpo, porque aí você não vai acordar 5 anos depois duas e meia da manhã lembrando de uma detalhe que você deixou passar e fez a pessoa ser uns 70% menos canalha do que parecia na época. Esse rebote de fossa de vez em quando é pior do que a fossa em si, então tente evitar que ela aconteça.


6. Respeite seu tempo
Não force as coisas. Sério. Se tiver que sofrer um caralhão de meses, sofra. Se você quiser morrer durante um dia todo e no dia seguinte já se sentir bem o suficiente pra se apaixonar de novo, tudo bem também. Lembrando aqui que estamos falando de fossa amorosa, não de fossa olímpica, e você não vai ganhar uma medalha se demorar mais ou menos pra se recuperar. Sério. Não força as coisas.



E, no fim das coisas, aceita que você (e eu e todo mundo) jamais sairemos tão bem de uma fossa quanto a Gwen Stefani (de novo essa mulher, cara!)  - que fez uma música pra falar pro mundo que ela e o Tony tão de boa hoje em dia. Sério. Eu nem tento mais, essa mulher é um sucesso no quesito superar pé na bunda. Deus abençoe - e que qualquer jeito que a gente der, desde que dê certo, é muito válido. O importante é superar, moçada. Sempre tem outro moço/ outra moça pronto pra destruir o nosso coração de novo depois que a gente se colocar em pé. 

Segue o jogo.