segunda-feira, 18 de setembro de 2017

When the world is running down you make the best of what's still around

Esse post não vai fazer sentido, não tem nem um objetivo além de "Precisava botar isso em algum lugar e tô com preguiça de colocar no diário" (a.k.a "Quero registrar, mas no blog vai mais rápido").


Eu sou muito boa em fazer planos e depois fazer tudo diferente do que planejei. Sério: Esse é meu dom. Se Deus me deu algum dom foi esse - e puta merda, como eu sou BOA nisso! Pra vocês terem uma noção, eu planejo tudo e, se esse plano envolve mais gente além de mim, faço até na minha cabeça mais ou menos como vai ser o diálogo e imagino o que a pessoa vai falar pra ter uma réplica na cabeça. Tipo em joguinho quando você vai falar com um NPC e eles já tem lá meia duzia de frases programadas e algumas opções de diálogo.

That's how I roll.

A terapeuta perguntou desde quando eu faço isso e, na real, eu acho que faço desde sempre. A única merda é que eu nunca tinha notado, então era um processo mais inconsciente que eu só comecei a notar depois dessa segunda rodada de terapia - que foi por causa da ansiedade - e de ter percebido que eu tenho plano A, plano B e eventual plano c. Mais uma prova de que FALAR sobre as coisas ajuda bastante sobre isso.
O que não garante que as coisas dariam certo. Enfim...

(Eu ia dizer que nada dá certo quando envolve pessoas, mas parei uns segundinhos aqui e perceber que não: Eles não dão certo NO GERAL mesmo. Deixa pra próxima)

Eu quero ser uma pessoa organizada, mas em 97% das vezes acabo fazendo por impulso o que deu vontade na hora, não o que eu perdi HORAS do dia planejando - porque planejar é uma coisa, executar é outra e embora patos e gansos se pareçam não são a mesma coisa (somente um corre atrás do pinto).

Meu exemplo mais recente foi quando eu passei muito tempo pensando (tipo, UM DIA E MEIO) em como dizer pra um cara que eu gostava dele (quem faz isso em 2017, Jesus?) de um jeito que fosse rápido, não deixasse dúvidas e não parecesse um tipo de pressão pra ele corresponder só pra no final eu ficar cinco minutos no modo tela azul dentro do carro dele e só mandar um "Olha, eu não vou falar nada porque se eu ficar pensando no que vou falar eu vou entrar em parafuso e não vou fazer nada... E se eu não fizer nada eu vou surtar e não tô interessada nisso" e aí eu cheguei perto o suficiente pra beijar, beijei e mandei um "Se isso for estranho a gente finge que nunca aconteceu".

(não foi estranho)

Eu tinha planejado, eu tinha todo um texto bonitinho sobre slots, pessoas, espaços na vida e coisas igualmente sem sentido pra quem não tava por dentro da história e... Na hora simplesmente me pareceu trabalhoso demais, elaborado demais e... Artificial demais. Não ia parecer uma coisa NOSSA, sabe? (minha e do cara, no caso)

Enfim...

A maioria dos planos que eu tenho faz com que as coisas pareçam artificiais e eu, mesmo assim, não consigo me livrar deles. Da parte de fazer pelo menos.
A execução sempre é falha, mas eu ainda perco tempo fazendo, sabe? Planos, eu digo. Eu penso em tudo o que poderia dar errado e em soluções pra corrigir eventuais cagadas. E aí nunca rola uma cagada grande o suficiente pra eu ter que botar em prática o planejado.

O foda é que eu perco tempo planejando, acho que o planejamento ficou uma merda, faço as coisas como elas me pintam na hora e aí depois fico preocupada porque elas não saíram como planejei. É um processo tão automático (e tão ridículo) que eu não sei como parar. Aí mora a ansiedade.
Não sei como controlar esse ciclo. "Execute os planos" parece uma coisa lógica, mas não é tanto porque, na maioria das vezes, o plano é idiota. "Deixa acontecer naturalmente" também não dá muito certo porque o acontecer naturalmente, na maioria dos casos, envolve terceiros e é muito foda depender de terceiros. Não sou boa nisso.


Daí que eu planejei reconhecer todas as minhas falhas e ir trabalhando nelas uma por uma. Tá dando certo? Não tá.



Era só isso mesmo. Não tem conclusão óbvia.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Heaven only knows that we live in a world where what we call beautiful is just something on sale (2)

LISTA (incompleta, interminável em constante atualização e fora de ordem)DE HOMENS NÃO CONSIDERADOS BONITOS PELA SOCIEDADE QUE EU PEGARIA SEM PENSAR DUAS VEZES CASO TIVESSE CHANCE (indo apenas pela aparência, não fui ao google ver se há passado público de babaquice) PARMERA EDITION™ (só com os jogadores do elenco atual do Palmeiras)


9. Dudu



Dudu é mais novo que eu, mais magro que eu e apenas 5 cm maior do que eu. Dudu tem uma voz esquisitíssima e não é um baita padrão de beleza. Mas ah, meu Deus... DUDU HOMINHO DA PORRA ♥ CAPITÃO DO MEU CORAÇÃO. Eu acho uma gracinha.



10. Thiago Santos

Acabei de perceber que ele desenha a barba e nem assim o encanto diminuiu.


Ele é BRUTO, RÚSTICO e SISTEMÁTICO. Minha mãe faz cara de "Você está louca, querida" toda vez que eu menciono Thiago Santos como o homem mais bonito do elenco do Palmeiras e meu pai fala "Você tá passando fome?" quando eu digo a mesma coisa. Mas fala sério: Esse JAGUNÇO maravilhoso é um baita homão da porra.



11. Jailson



Todo mundo sabe que o GOLEIRÃO DA PORRA do Palmeiras é o Prass. Tem aquele ar de homem sério, a atitude de quem encerra discussões (e partidas importantes) com um "ACABOU, PETROS!" e aqueles cabelos grisalhos que eu sinceramente acho um charme.
Mas o Palmeiras tem o Jailsão da massa ainda ♥
Jailson tem uma história foda com o Palmeiras, foi campeão brasileiro de 2016 INVICTO e é um baita homão da porra. Aliás, pra mim, Jailson é titular absoluto no gol e no coração.


LISTA (incompleta, interminável em constante atualização e fora de ordem) DE HOMENS CONSIDERADOS BONITOS PELA SOCIEDADE QUE EU NÃO PEGARIA CASO TIVESSE CHANCE (nem pra me exibir depois, porque não faço essas coisas).

2. Roger Guedes



O padrãozinho loirinho tatuado. Pra mim ele tinha tudo pra dar certo mas, de algum jeito, ficou ali entre a Ana Maria Braga e o Paulo Nunes. Algo não desce.


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Das músicas que revelam uma obsessão que deve ser tratada (15)

Você Não Sabe O Que Vai Perder - Roberto Carlos


Já não encontro mais palavras pra lhe convencer
Que por incrível que pareça eu gosto é de você
Diz que eu nada faço por nós dois
Que venho uma semana e só um mês depois
Eu volto pra lhe ver
Você não pode compreender
Se eu agi assim foi somente pra saber
Se existe por aí alguém melhor do que você
Eh, sinto muito mas eu sou assim
Sei que cedo ou tarde alguém vai lhe dizer
Se você me deixar
Não sabe o que vai perder, oh...

Diz que eu nada faço por nós dois
Que venho uma semana e só um mês depois
Eu volto pra lhe ver
Você não pode compreender

Se eu agi assim foi somente pra saber
Se existe por aí alguém melhor do que você
Ah, sinto muito mas eu sou assim
Sei que cedo ou tarde alguém vai lhe dizer
Se você me deixar
Não sabe o que vai perder

Já não encontro mais palavras pra lhe convencer
Que por incrível que pareça eu gosto é de você
Diz que eu nada faço por nós dois
Que venho uma semana e só um mês depois
Eu volto pra lhe ver
Você não pode compreender

Já não encontro mais palavras pra lhe convencer
Que por incrível que pareça eu gosto é de você
Diz que eu nada faço por nós dois



Calmaí, deixa eu ver se entendi certo: O cara cozinha a mina, dá uns perdidos, se finge de morto por um tempão, diz COM TODAS AS LETRAS que é pra ver se acha coisa melhor que ela e AINDA POR CIMA diz que é o jeito dele e que, caso ela quebre esse ciclo... Quem vai sair perdendo é ela? Sério mesmo?  Não cai no "Que por incrível que pareça eu gosto é de você" não, miga. Esse homem é um tremendo vacilão escroto. Ele pode até não achar coisa melhor que você e voltar todas as vezes por causa disso... Mas você CERTAMENTE acha coisa melhor que ele. Mete um pé na bunda desse infeliz e o outro no mundo. Sai dessa!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Ô ôô ôôô - que terror!

Crise de ansiedade eu aguento e supero.

Crise de ansiedade enquanto a Dança do Vampiro fica tocando EM LOOP na minha cabeça já acho sacanagem.


The best of us can find happiness in misery (2)

Ou "um guia de como se alienar voluntariamente em tempos de vida cagada" ou ainda "Tô passando muito tempo vendo filme sim, e você que é feio?" ou, como última tentativa "Ah, bicho, pelo menos com a ficção a gente tenta se divertir, né?" - tudo isso parte 2. 


Você pode rever a parte 1 aqui.



Lista e comentários dos últimos filmes/séries que eu assisti


Rick & Morty



Rick Sanchez (o homem mais inteligente do universo e que - talvez por isso - está bêbado  100% do tempo ) e seu neto Morty (que é o Morty) partem em aventuras muito loucas por dimensões diferentes. Eu não posso falar muito, exceto que eu devorei as duas temporadas que tem na Netflix em menos de uma semana e agora tenho acompanhado a terceira "ao vivo". Gosto demais porque você tá lá esperando alguma coisa acontecer e de repente acontece uma coisa totalmente diferente, te dá um soco na cara e você fica "WOW" ao mesmo tempo em que se acaba de rir.
Em um episódio rolou um bagulho tão tenso que eu tive que parar, desligar e dar uma REFLETIDA no que tinha acontecido e qual o porquê de eu estar tão chocada com um desenho que tem uma personagem chamada Poopybuthole.
Mas é divertido E inteligente. Juro.


Rita




Essa loirinha dinamarquesa aí de cima é a Rita. Ela é professora de uma escola e dá aula pra molecadinha que aqui no Brasil seria do fundamental I.
Agora que você sabe que ela é professora reflita sobre esse gif aí de cima.

WOW.

Tem na Netflix. É ótima.



Atypical




O Sam está no espectro do autismo e decidiu que quer namorar e ficar mais independente. Isso aí de cima é uma tentativa dele de flertar. Aí você imagina.
Vale por ele, por falar de autismo de um jeito bem leve sem deixar de lado as tretas fodidas que acontecem e por todas as personagens da série. Sério. Dá pra gostar até da mais cuzona (não vou dizer quem é, mas logo de cara vocês já percebem).



Marvel - Os Defensores





Ainda não acabei porque toda vez que vejo a cara do Danny Punho-de-Aço quero dar com o meu punho na TV e, bem, ele não é de aço. E eu não sou rica feito o Danny pra consertar minha TV num arroubo de raiva.
Enfim...
Vale por Jéssica Jones, pelo Matt e pelo Luke Cage gostosérrimo que é sempre bom de ver - mesmo nas cenas com o Punho de Ferro - que são muitas. Argh. 


Jurassic Park 1, 2 e 3




Ian: Deus cria os dinossauros. Deus Destrói os dinossauros. Deus cria os homens. Os homens destroem Deus. O homem cria os dinossauros.
Ellie: Dinossauros devoram os homens. As mulheres herdam a Terra.


Tirando as crianças dos três filmes que são insuportáveis (cada uma do seu jeitinho) os filmes são incríveis. O terceiro é o mais chatinho dos três, mas os dois primeiros com o Ian Malcolm (o Jeff Goldblum) valeriam a pena só por ele. 
Mas nessa cena do gif quem rouba a cena é a Dra. Ellie. Quase mandei um "AMÉM" da primeira vez que assisti.


Resident Evil 1 e 2 (por enquanto)






Tô assistindo devagarzinho os filmes, mas já posso dizer que gostei demais dessa combinação ciência do mal criando coisas bizarras que vão acabar com a humanidade. Deve ser minha fase meio "ah, a humanidade tem que acabar", mas tá sendo bastante divertido.
Ah, e no primeiro tem a Michele Rodriguez interpretando.... Bom... A mesma personagem que a Michele Rodriguez interpreta em todos os filmes. 


Caçadores de Emoção





E se eu te disser que além de Patrick Swayze NESSAS CONDIÇÕES esse filme ainda tem o Keanu Reeves novinho sendo surfista? E se eu te disser que o filme, ainda por cima, é bom? Pois é. O filme é bom, é gostosinho e já passou um monte de vezes na Sessão da Tarde e eu nunca tinha parado pra ver. Perdi um tempo daora, não cometam o mesmo erro e assistam.


Modern Family





Infelizmente Modern Family saiu do catálogo da Netflix e eu parei apenas na segunda temporada. Foi bom enquanto durou porque DEUS ME LIVRE baixar todas as trocentas temporadas, colocar em ordem, procurar legenda, passar pro HD pra assistir na TV.
Mas fica aqui a lembrança dessa série que tinha tudo pra ser um chameguinho na minha alma apenas por ter Phil Dumpy e Gloria.
Mamãe disse que eu sou "muito Phil" e eu adoro o Phil, então fiquei feliz ♥


Strike - The Cuckoo's Calling





AH MEU DEUS
AHHHHHHHHHHHHH CORMORAN STRIKE
AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH VOU MORRER
E AINDA É O TOM BURKE QUEM FAZ O CORMORAN STRIKE EU VOU MORRER DUAS VEZES AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

(só assisti o primeiro episódio, mas foi tão maravilhoso que eu VOU MORRER AHHHHHHHHHHHHH)


Pra quem não sabe essa série é baseada numa série de livros de detetive escrita pela J.K. Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Se você não leu os livros: Leia. Se você não quer ler os livros saiam daqui não os quero no meu blog veja a série que é maravilhosa. E tem Tom Burke. E AHHHHHHHHHHHHHH VOU MORRER ♥


PopStar





Devo dizer que nas últimas semanas tenho perdido horas na frente da TV no domingo pra assistir atores Globais cantando
Sim, eu sei.
Mas não me arrependo.
Eu redescobri Cláudio Lins e meu mundo já é um lugar melhor com essa nova-lembrança-velha.
Acabou dia 10/09 o programa, mas no site da Globo tem todinho e sem os jurados falando bosta (era a parte chata do programa). Não vou dizer quem ganhou, não importa ♥

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

I heard that you were talking shit and you didn't think that I would hear it

Terapeuta me perguntou dia desses o que eu considero que tem dado certo na minha vida e eu demorei um tempão pra pensar em alguma coisa. Sério, te juro. Demorei tanto que eu comecei a ficar irritada comigo mesma, já que pensei na família, no Mozão, nos migos, na faculdade, na vida profissional e sempre tinha ALGUMA COISINHA ali que não deixava eu botar um 10/10 e falar "AQUI TÁ DAORA". Eu sou chata a esse ponto? Eu tô realmente tão pessimista e chateada com tudo que pra mim nada tá bom? Eu sou esse tipo de gente agora? Porque eu odeio esse tipo de gente, sério.

Pois muito que bem.

Estava eu no banheiro fazendo minhas necessidades fisiológicas (o bom e velho cocô) quando percebi que existe apenas uma ~instituição~ funcionando perfeitamente na minha vida atualmente, apenas uma coisa que é totalmente confiável e 10/10: Meu intestino.

Pois é, amiguinhos. Funciona perfeitamente como um reloginho todos os dias em todas as condições. Assim como os nortistas podem se programar pra fazer as coisas antes ou depois da chuva eu posso me programar pra fazer as coisas antes e depois do cocô, de tão certinho que é meu intestino. E, olha, ele não se abala nem com meus hormônios, viu? Ele funciona muito bem até quando eu estou surtada por causa da menstruação.

Então só gostaria de dizer que eu sou profissional na arte de fazer merda. Ninguém faz merda tão bem quanto eu. Minha maior especialidade é cagar. É isso. Se vocês souberem de algum emprego que as pessoas precisem dar cagadas literais é só me chamar porque eu provavelmente vou mandar muito bem nele.


Taí um montão de cocô.



_____
ps: O emprego terrível com o chefe merdoso era... Uma empresa de adubos. Eu não vou fazer nenhuma piada porque já fiz todas as possíveis, mas vocês estão livres pra rir disso.

domingo, 10 de setembro de 2017

I study your face and the fear goes away

Vocês não tem noção do quão esquisito é (pra mim): 

1. Estar apaixonadinha; 

2. Por alguém normal.


Tá, eu tô sendo dramática. Acho que eu não tô dando muito na telha e, se alguém me ver na fila do pão, não vai achar que eu encontrei alguém, só no máximo vai pensar que eu sou muito indecisa pra quem só vai comprar dois pãezinhos e uma broa de milho (mas é que eu nunca lembro se é pra pegar os branquinhos ou os queimadinhos, pão é coisa séria e meus pais tem gostos diferentes). 

Mas é que gostar de alguém é um negócio que não acontecia pra mim há muito tempo e eu meio que tinha me esquecido como é legal saber que a pessoa tem um bilhão de defeitos, que é meio bugada que nem você e decidir mesmo assim que quer ver qualé porque vale a pena - Porque vale MUITO a pena, aliás.
E essa coisa de falar sobre tudo com a pessoa - com um puta medo de ser julgada negativamente, claro - e receber compreensão e afeto como resposta. É ótimo. É novo. A cada confissão, a cada conversa, a cada troca de segredos a intimidade aumenta e as coisas ficam mais fáceis.
As incertezas ainda tão aqui comigo, de vez em quando eu tenho umas ideias erradas e umas paranoias muito loucas... Mas eu não preciso guardar pra mim. Eu posso conversar com ele e falar sobre tudo isso e (sabia era a Arno) a gente conversa e se entende.

Existe reciprocidade. Acho que isso é bonito demais. E pra mim, cheia de neuroses e insegura do jeito que eu sou, isso já é um passinho pra frente. Um puta passinho. Um pulão na real.

Achei o meu abraço predileto no mundo e não existe lugar onde eu me sinta mais confortável do que nele ♥



____

Descobri dia desses que sou lida por ele aqui nesse blog. Então... Oi :)

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Promised you romance and safe place to hide

Desde o primeiro ataque de pânico/ansiedade, aquele no antigo trabalho, quando eu sentei no chão do banheiro e achei que fosse morrer porque meu coração estava tão disparado, minhas mãos tão suadas e minha audição e visão tão alteradas que eu achei que estava tendo um ataque cardíaco (não faço ideia dos sintomas de um ataque cardíaco), eu reconheço os sinais chegando.
Tudo começa com uma noite mal dormida por motivo nenhum. Tudo estava bem, tudo foi bem. Eu não precisava me preocupar e mesmo assim eu dormi mal. Depois é o enjoo que me impede de comer qualquer coisa de manhã, e a fome que vem faltando 1h pro almoço e me impede de comer pra - justamente - não estragar o almoço. E no meio disso tudo tem as conversas, as interações, os pequenos contratempos do dia.
Eu sei quando estou ansiosa.
Dependendo do dia eu consigo controlar.
Saio com o cachorro;
Saio pra correr;
Tomo um banho gelado;
Respiro fundo;
Canto em voz alta.
Dependendo do dia nem chega a durar dois minutos, dependendo do dia eu fico o dia inteiro esperando que isso aconteça de uma vez pra eu poder desencanar e seguir minha vida.
Dependendo do dia eu fico bem e ninguém percebe que eu estou, como na música do KLB, morrendo por dentro. 
São as mãos geladas.;
É o sorriso nervoso;
É a fala rápida.
Mas eu sempre fui assim, né? Fria. De riso fácil. De fala corrida.
Nem dá pra perceber.
Obrigada por mais 24h.


___

E aí toda quinta-feira tem a terapia. 
Tem dias que eu chego querendo contar tudo porque eu não entendi nada e preciso que ela me ajude a organizar. Se eu sei, se eu reconheço, se eu entendo... Por que não consigo resolver? Por que meu planejamento metódico e minhas técnicas infalíveis falham? Por que eu não consigo me concentrar em uma simples tarefa, tipo ler um texto da faculdade, ou escrever alguma coisa no meu diário? Por que eu tô com um foco menor do que o de um esquilo sendo que eu cortei meu tempo gasto na frente do computador pela metade e não vejo mais jornal? 
E nesses dias eu falo, falo, falo, falo, falo mais um pouco até esgotar e aí percebo que já estou me enchendo de novo. E aí eu ouço.

CALMA.
RESPIRA.
TOME O CONTROLE.
VOCÊ SABE O QUE FAZER.
CALMA.


Quem é que manda um ansioso ter calma, pelo amor de Deus?



___

E surpreendentemente é quando eu estou calma que as coisas funcionam.
Quem diria que a pessoa treinada pra uma situação daria um conselho que, de fato, funciona, hein?
QUEM DIRIA? (qualquer um)
E aí eu sento pra escrever. E aí eu respiro fundo. E aí eu tomo 2,5l de água por dia. E aí eu não crio nenhuma paranoia sobre estar desempregada, sobre o país estar acabando, sobre morrer sozinha rodeada por cães que vão comer meu rosto, sobre nunca me formar, sobre o moço perceber que eu sou completamente bugada e enjoar de mim. 24h sem neuras. Obrigada por mais 24h.


__

E eu me acalmo quando estou com gente que eu gosto - inclusive sozinha porque, por mais estranho e contraditório que possa parecer, eu gosto MUITO de mim mesma. Eu gosto de cada defeitinho, de cada bug, de cada errinho que eu cometi (faria de novo? Não. Mas entendo o porquê de ter feito e entendo o porquê de não fazer de novo). Minha companhia é incrível. Eu sou incrível. Minha aparência é incrível. Eu sou CHEIROSA PRA CARAMBA (baita elogio).
Eu sou tão incrível e tão legal e tão maravilhosa e estou tão em paz comigo mesma que - veja bem! - até quero sair e encontrar quem me faz bem.


__

E esse moço me faz bem. Esse moço eu consigo encontrar nos picos de ansiedade e nos momentos de calma e ele sempre vai me fazer bem. Ele disse que eu roubo as horas, que eu me alimento do tempo - porque toda vez que estamos juntos a hora passa muito rápido e a gente nem percebe. Eu sou obrigada a concordar.
Eu esqueço todas as pressões, todas as neuras, todas as coisas ruins quando estou com ele. Eu posso passar um dia assim, mas nunca vai ser suficiente. Porque o bem estar que eu sinto quando estou com ele é quase como o bem estar que eu sinto quando estou em paz comigo mesma, só que MELHOR, porque eu não estou sozinha. Eu nunca me sinto sozinha quando estou com ele - e o fato de que ele tem o maior abraço do mundo e ser 20cm maior do que eu, o que faz com que ele me "engula" no abraço, só o granulado nesse grande brigadeiro que tem sido estar com ele.
É nesse abraço confortável, quando eu estou de olhos fechados só sentindo o perfume natural dele, que eu consigo concluir que esse moço aumenta a minha felicidade.


__

Eu sempre falei que gostaria de alguém que viesse me acrescentar um slot de felicidade, que chegasse num momento de equilíbrio quando eu estivesse muito bem comigo mesma a ponto de deixar alguém entrar na minha vida e ADICIONAR alegria, não ser a única fonte de alegria dela.
Esse moço é meu slot adicional. 
Eu não estou 100% bem - Tem dias que eu não chego a estar nem 30% bem - mas o meu amor próprio está ali, intocado, no meio dessa bagunça. Eu me amo o suficiente pra saber o que faz bem ou o que faz mal pra mim, e estou lúcida o suficiente pra saber que ele me faz bem. 
A parte mais gostosa é que ele sabe exatamente como eu me sinto, porque eu não tenho nenhum bloqueio pra contar pra ele (Terapeuta do capeta provavelmente estaria muito orgulhosa de mim). E ele entende as minhas dodoizices. E ele está lá por perto. Ele me conta as dele também, então estamos quites. A gente troca neuras e acalmamos os medos um do outro. A personalidade dele, tão diferente da minha, acaba me equilibrando (e espero que a recíproca seja verdadeira).
Ele fica por perto mesmo porque ele reconhece as mãos geladas, o sorriso nervoso, a fala rápida... E desarma todas elas, uma por uma, somente estando por perto e dizendo que vai ficar tudo bem - aliás, dizendo que JÁ ESTÁ tudo bem. Que é pra ter calma. E que ele vai ficar por perto, ou me dar o espaço que eu precisar (porque ele também precisa de espaço). E ele realmente fica por perto.
Como ele esteve por perto quando encontrei o filho do meu ex-chefe no shopping e fiquei tão abalada que chorei. Em público. E ele só me abraçou, ele só disse que eu sou linda, que eu sou forte, que ele respeita todas as minhas fraquezas e estará lá pra ser o meu ponto de força quando eu não puder ser. Quando eu pedi desculpas por ter chorado, por ter me colocado tão frágil na frente de alguém que eu mal conheço, ele disse que tudo bem, que não tem problema, que as coisas levam tempo mesmo e que eu não posso me cobrar demais. E disse que tudo vai ficar bem.


___

E eu sei que tudo vai ficar bem. Mesmo. Porque, se eu olhar com calma, eu vou ver que as coisas já estão melhores.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Baby, you hit me like a bolt from the blue

Foi no dia em que o pneu do seu carro furou naquele lugar bizarro, meio isolado, depois de ter anoitecido. Você ficou calmo e parecia ter tudo sob controle - além de ter tido uma sorte danada.
Eu tinha tudo pra ficar nervosa, mas não fiquei. A minha ansiedade poderia ter aparecido e eu poderia ter sentido medo, mas não tive medo e nem fiquei ansiosa. Você me deixou calma e nem precisou se esforçar pra isso.

Daí eu lembrei de todas as vezes em que isso tinha acontecido nesse último mês e percebi que a única "coisa" em comum em todas elas foi sua presença.

Então eu FINALMENTE fiquei ansiosa e com medo.


(mas era outro tipo de medo)

sábado, 22 de julho de 2017

I think I've got a little crush on you - I hope it's not too much

Como eu tenho me decepcionado demais com os garotos da vida real decidi que nessa minha nova fase monga monja eu vou ter quedinhas apenas por moços da ficção porque, caso alguma coisa dê errado eu vou ter 100% de certeza que a culpa é minha. Então aqui está a minha lista atualizada de paixonites por moços da ficção:

7. Jess Mariano - Gilmore Girls
No começo eu achei Jess um babaca, não vou negar. Não tenho paciência pra gente que faz joguinho e tudo o que ele fez enquanto Rory e Dean estavam juntos foi jogar - e usar a mocinha lá pra fazer ciúmes foi bem BEM BeM errado, né? Vamos combinar. 

MAS ESSE CARA..... AH, ESSE CARA TERIA SIDO MINHA ESCOLHA FINAL PRA RORY SE EU PUDESSE ESCOLHER.

Eu acho que assisti essa cena um bilhão de vezes.


E não pela fase bad boy, porque embora eu entenda a atração que um bad boy pode exercer, eu sou muito mais a fase mais madura, quando a Rory já está com o babaca do Logan e ele aparece dando aquele choque de realidade que todo mundo tava vendo que ela precisava e ninguém tinha as moral de fazer. E eu nem vou falar sobre a última cena dele na temporada do ano passado.....................
"Eu te conheço melhor que qualquer um e você não é assim!" olha, se isso não é amor, o que mais pode ser?

Olha, eu só posso esperar que, caso Gilmore Girls continue, o Jess ocupe o lugar maravilhoso que ele merece.



6. Jake Peralta - Brooklyn Nine Nine




Há algum tempo na internet surgiu um meme pra você se descrever em três personagens de série/filme. Eu fui Felicity, Rob Gordon e Jake Peralta e entrei totalmente em acordo com aquela ideia de que a gente gosta das pessoas por egoísmo já que, no fundo, a gente acha que elas se parecem com a gente. Peralta é totalmente isso.

E quem não é? rsrs


Ele é um detetive/policial de uma série de comédia. O melhor da 99 DP do Brooklyn (embora a Santiago discorde). E é totalmente competente no que faz, embora faça isso com humor.
E, nos bastidores da profissão, Peralta tem grandes problemas pra demonstrar sentimentos e lidar com as emoções. Quase nem me identifico.


E quem consegue? rsrsrs


5. Luke Cage - Luke Cage/Jessica Jones/Defensores

Eu sinceramente não sei o que dizer sobre esse homem que não soe absurdamente como objetificação. Porque olha, de verdade, é 80% objetificação.

Olááá, Luke.

Mas, não bastasse ser um tremendo dum HOMÃO DA PORRA, Luke Cage ainda defende os mais fracos, ajuda os amigos todos e não se machuca de jeito nenhum.
Se não desse pra ser meu amante eu gostaria que fosse meu segurança. Ou meu amigo.


Mas preferencialmente amante mesmo. Não vou mentir.


4. Joel Hammond - Santa Clarita Diet

"Opa, troquei o meu almoço pelo da patroa"











Aqui é culpa do fator Timothy Olyphant. Eu acho Timothy Olyphant um cara totalmente gato desde a época que ele fez Hitman (ou um pouco antes, não lembro) e agora que ele tá nessa onda meio GRISALHÃO GATO a coisa só melhora. Joel Hammond, a personagem, é o marido que descobriu que a mulher virou uma zumbi comedora de humanos e surtou com isso (é claro), mas foi totalmente suportivo e PARCEIRÃO.
Ganha muitos pontos na escala amorzinho por estar com ela em todos os momentos - até nos ruins e bizarros.

O crush está vindo. Aja naturalmente.




3. Riggs - Lethal Weapon (série)
Olha esse cabelo. Plmdds, que cabelo feio.












Riggs entra totalmente na cota dos dodóis da cabeça. Porque o Riggs é MUITO dodói, gente.
Pra quem nunca assistiu Máquina Mortífera (os filmes e a série - mas no filme quem interpreta o Riggs é o Mel Gibson), o Riggs é metade inconsequente de uma dupla de policiais que é completada pelo Murtaugh (que, na série, é o pai de "Eu, a Patroa e as Crianças", o Damon Wayans). Enquanto Murtaugh é um cara "equilibrado", o Riggs é totalmente despirocado das ideias.
Tipo... TOTALMENTE. Eu não posso dar spoilers, mas posso dizer que por trás de toda loucura tem uma pessoa sofrendo muito e em todas as cenas de fragilidade emocional eu fico só o tweet do Taison pensando. QUERO CUIDAR DE VOCÊ, RIGGS. POSSO?


Ahh... BELEZA ENTÃO.



2. Louis Litt - Suits

A primeira cena de Louis Litt em Suits mostra que ele é a personagem que a gente não vai gostar na série. Porque ele é egoísta, mimado, vingativo, neurótico, paranóico e quer ferrar os protagonistas da série. Louis Litt, apesar de um advogado incrível, não é uma pessoa amável.
Só que é.

Mais inseguro que andar numa ponte pênsil de madeira num penhasco de 500m num dia de ventania.


E aí a série vai passando e os motivos para você odiar o Louis vão sumindo, enquanto os motivos para você simpatizar com ele vão aparecendo. Ele ainda é inseguro? É. Vingativo? Porra, demais. Impulsivo? É. Fode os outros? Ô SE FODE.
Mas você vai colocando vários "AHHH, MAS ELE..." e, quando percebe, já tá amando e querendo proteger essa coisinha de todas as coisas horríveis do mundo.
E quando alguém (os verdadeiros odiáveis da série) aparecem pra magoar o SEU LITT, você já acha que essa pessoa merece ser "Litt up".

Ou sou só eu? hmmm

NINGUÉM MEXE COM MEU LOUIS.


1. Cormoran Strike


Esse é totalmente uma aposta porque a série ainda nem foi lançada.
MAS É O TOM BURKE INTERPRETANDO O CORMORAN STRIKE, CARALHO!
'Cês tem alguma dúvida de que eu não apenas vou amar, como ficar obcecada por ele?

Há.
Eu amo Cormoran e Robin e vou protegê-los e ficar ligeramente obcecada.



Come on Eileen oh I swear (what he means) at this moment, you mean everything

pensamentos soltos traduzidos em palavras não corrigidas de uma sexta feira a noite com rum, coca e uma playlist de gente que CESTOU (com c mesmo, de lixo)

- eu tô meio encantada aí por um cara
e eu nem queria contar porque, vejam vocês, eu não faço ideia se é correspondido! hahaha
tipo, quantos anos eu tenho pra ter dúvida real sobre os sentimentos de alguém sobre mim? eu já reclamei aqui um monte de vezes, eu tive lá o cara pra quem eu paguei um pau, dei várias diretas e "não sabia' se ele tava afim......... mas eu sabia que não. porque não tava, né? eu queria me iludir por vários motivos (tão bonito o sotaque) e enfim....... se vc não sabe se um cara tá afim é porque ele não tá blábláblá eu sei
mas esse é diferente porque eu realmente não sei e aí eu fiz coisas pra descobrir e ainda tô ??????????
huahuahua
sabe quem foi a última pessoa por quem eu tinha uma quedinha violenta e só descobri que era recíproca depois que A PESSOA falou? ele mesmo
meu primeiro ex namorado que eu nem sei mais em qual posição do ranking das fossas está


- e aí tem a coisa das pessoas com personalidade diferente que entraram na minha vida de 2016 e eu tenho que lidar (tenho falado muito disso com a terapeuta nova, porque teve isso também, eu voltei a fazer terapia com uma nova terapeuta, nem contei hihi)
teve o babaca do meu chefe né
babaca
teve também os babacas dos puxa sacos do chefe merda né
eu brincava que era o chefe merda e o merda que se achava chefe............ pode acontecereu só
grazadeus não tenho que lidar mais (hoje aliás assinei a homologação no sindicato e estou livre daquele lugar pra sempre danke schoen), mas a impressão fica né?
a impressão de que pela primeira vez eu saí real da minha bolha e conheci gente RUIM
bom né? demorou 26 anos!
e ai parece que abriram as porteiras pra fora da bolha, porque vieram várias pessoas diferentes
e diferentes pra melhor também sabe? até umas que eu não conheci, mas "conheci" pela internet (gente, o Felipe do Não sei Lidar..... eu quero ser amiga dele PRA VIDA, se existisse o TINDER DE MIGOS que ele quer eu super toparia ser amiga dele e a Natalia do Lapsos que garota gracinha sério vem ser minha amiga que merda gente legal morar longe)
o foda é que eu saquei que não sei lidar com gente muito diferente hahahaha
tenho pouca tolerância, sou tímida e assim vai............. 
e ai eu ia falar do mocinho ali de cima de novo porque NEEEEW.... YOU'RE SO NEEEW AND I NEVER HAD THIS TASTE IN THE PAST PAST mas ele nem é tão novo assim porque me faz lembrar um pouco de como foi o começo com o primeiro namorado e..... se eu começo a pensar nisso eu começo a lembrar do fim e HAHAHAHA NÃO É LEGAL 


- e tá meio bosta porque EU SÓ QUERO FALAR DELE gente e sério ainda não posso hahahaha
é recente, nem aconteceu muita coisa ainda e DEUS ME LIVRE QUEBRAR AS REGRAS DO MEU PRÓPRIO BLOG PESSOAL 
mas ele é incrível 
meu Deus, como eu tenho sorte de conhecer gente incrível
e ele é incrível nas banalidades, sabe? é um cara comum que faz coisas comuns e pra mim é maravilhoso porque é uma delicia vc contar as coisas idiotas que fez pra alguém e ser acolhida com "não acho estranho, é o seu jeito e eu gosto" "não foi idiota, foi fofo" e coisas igualmente confortantes sabe? e ele tem várias dodoizices também, mas é tão daora porque são umas dodoizices normais e eu estou TOTAL E COMPLETAMENTE DE BOAS com elas


- o cara do Linkin Park se matou e eu fiquei bem #xati porque foi uma parte mega importante da minha pré adolescencia, sabe? o Linkin Park eu digo
quer dizer.......... vamos lembrar que eu dizia que uma paquerinha era o Chester possível?
e teve a história da amiga lá que fez o blog falando mal de mim.......... era a nossa banda, sabe? a gente mandava letras uma pra outra, botava música como OST das nossas histórias
eu lembrei muito dela quando soube que ele morreu
aí passou a #xati e eu lembrei que assim como ela não faz mais falta hoje em dia......... o LP também não
fica só a #xati porque né..... suicidio é uma merda e a vida da gente não vale porra nenhuma


- tava terminando de tomar minha Cuba aqui e só agora saquei que não botei limão. burrice né? era só ter botato pepsi twist ao invés de coca............ cuba semi aberto sei lá
enfim

- abri um talho na minha boca ontem bricando com o cachorro e vira e mexe eu cutuco sem querer com os dente e sangra essa porra 

- acentos são superestimados e eu nunca vou saber usar crase na vida :D


- talvez esse post suma assim que eu entrar aqui sóbria
talvez não

nunca se sabe muito cedo pra dizer


- eu preciso começar um diário novo hahaha


- ontem num papo com o mocinho eu fiz uma coisa muito valente, muito brava, muito ORGULHO DE MIM MESMA e agora estou me cagando de medo e vergonha do mocinho :D tá daora viver



- daqui uns 3 anos eu conto essa história toda se eu não morrer de cagaço - gastei tudo ontem a coragem

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Não sei se o poema é bonito, mas sei que preciso escrever

Embora eu esteja precisando de muitas  coisas no momento (um emprego e paz de espírito sendo as mais importantes), a que eu mais quero é conseguir voltar a escrever.
Deveria estar lá embaixo na lista de prioridades práticas da vida, mas não está. Porque escrever sempre foi pra mim uma válvula de escape, o pininho pra afrouxar a pressão da boia prestes a estourar, sabe?
Há um ano eu não consigo escrever alguma coisa que acho digna de ser lida e eu não tinha me tocado até pouco tempo o quanto isso me chateia. E olha, posso dizer que É MUITO. Hahahaha
Então eu vou voltar e peço paciência pra vocês, meus dois leitores, porque vai levar um tempinho até eu escrever com a mesma qualidade as babaquices de antes. Eu tô enferrujada, mas sei que NÃO ESQUECI como se faz. 

Até lá eu vou fazer uma coisa que eu não desaprendi e gosto demais: Uma lista.


LISTA DOS MEUS TEXTOS PREDILETOS PUBLICADOS NESSE BLOG (em nenhuma ordem particular)


O texto que eu escrevi para o moço que morreu, dizendo coisas que eu jamais tinha dito e agora jamais poderei dizer.



Um texto sobre os momentos em que eu percebi que estava apaixonada, ou que não ia dar em mais nada.



Se um cara por quem eu tô encantadinha me pergunta o que eu quero fazer.... Eu faço um texto pra ele. Simples assim.



Eu tive um relacionamento aberto e uma fase dadeira. Tomara que nunca mais aconteça.



Bom, até mesmo a música "dos homens" pode fazer a gente pensar um pouco em Deus, né?



Sim, eu sou bonita. Obrigada.



Uma lista de presentes que eu adoraria ganhar de aniversário.



Bom... Acho que esse título é meio óbvio (bônus: Tem uma foto minha quando criança super amedrontada perto de bonecas!).



Um post que tem como título Primetime, da Janelle Monae, certamente não deve ser lido por menores de 18 anos.



Um post sobre despedidas e sobre o quanto a gente não consegue gostar de quem a gente gostaria de gostar.



Tem gente que faz a gente escrever textos bons mesmo em momentos merdas, né?



Sobre a distância, sobre fins que não terminam como a gente gostaria e sobre as ideias que ficam bem no fundo da nossa cabeça.


A gente não pode cortar o pé só pra um sapato caber que nem as irmãs da Cinderella no conto original. Só que eu não tava falando de sapatos.



Óbvio que a ideia era furada, mas tão gostosos os papos de bar.

terça-feira, 18 de julho de 2017

No one knows this more than me 'cause I come clean

Eu passei um ano inteiro tomada por apenas uma angústia sem fim que me fazia ao mesmo tempo sentir tudo e não sentir nada. Era uma ansiedade fodida que me fazia dormir mal, comer mais do que eu precisava e chorar de desespero porque eu tinha que ir para um lugar com pessoas que me faziam mal e passar 10h do meu dia lá.
Eu sentia tudo e esse sentir tudo me impediu de sentir qualquer outra coisa. 
Dá pra entender?
É mais ou menos como se eu tivesse passado um ano inteiro com o nariz entupido e, a partir do momento que eu saí do emprego que estava me fazendo mal o meu nariz destampou e eu comecei a sentir um monte de cheiros que há tempos eu não sentia.

Eu sentia tudo - o que não me deixava sentir nada - e, quando finalmente parei de sentir, eu comecei a me sentir.... Estranha?

É esquisito e é um processo que eu ainda tô entendendo, porque na minha cabeça faz sentido e toda vez que eu tento explicar pra alguém é como se eu estivesse tentando ensinar física pra alguém. Como é que eu vou explicar algo que eu não sei?

É foda.




Quando eu parei de sentir a angústia de ter que ir para o trabalho e ser xingada, humilhada e desvalorizada constantemente eu meio que passei a me sentir ao mesmo tempo vazia e transbordada.

Vazia porque eu passei um ano me sentindo assim e não dá pra gente simplesmente desacostumar de um dia pro outro (embora a paz tenha sido quase instantânea quando eu pisei fora lá e soube que não precisaria voltar), e cheia porque eu vi o quanto eu negligenciei nesse ano que eu passei tão ocupada tentando me manter sã.

Eu não tenho amigos;
Eu tenho uma pilha de assuntos não inacabados;
Eu não tenho PACIÊNCIA com os outros (exceto com os que estão tão fodidos quanto eu);
Eu não tenho uma vida amorosa;
Eu não tenho uma vida acadêmica da qual eu possa me gabar, ou da qual eu goste de falar.
Eu não tenho vontade de sair e resolver nada disso, porque eu tenho a plena sensação de que é tudo uma perda de tempo sem volta.
Eu tenho uma familia que, ao mesmo tempo que é suportiva e tem sido o meu porto seguro nos momentos pesados, me cobra porque SABE que eu posso render. Eu não tenho nem como ficar brava com essas cobranças porque eu sei que eu poderia render mais também. Mas vou fazer o quê?

Eu não tenho a mínima vontade de fazer nada.
Tipo... Nadinha.

É como se tudo o que eu já tivesse feito anteriormente não tivesse a menor graça e tudo o que eu tento fazer sai errado, nada dá certo - o que é ridículo porque EU NÃO TENHO FEITO NADA.


____

Respeitando as proporções, tô mais ou menos quando o primeiro namoro acabou.
Eu estava com o cara há tanto tempo, tinha feito planos tão longos que quando os planos se acabaram e eu não estava mais com ele me senti totalmente perdida. Sem rumo mesmo.
E apenas a terapeuta do capeta sabe o tanto de merda que eu fiz naquela época pra corrigir isso (e só acabei fodendo tudo ainda mais).

Eu tenho 27 anos, sabe? 
O tanto de potencial que eu tenho pro resto da vida, o tanto que eu posso fazer.... Não era pra eu estar assim.

E eu tô. Que bela merda.




___

(mas nem tudo tá ruim e eu tenho umas coisas boas acontecendo também. É que a zica tem sono leve, então eu pretendo não falar muito do que tá rolando de bom... hihihi)