terça-feira, 30 de setembro de 2014

In my defence what is there to say? All the mistakes we made must be faced today

A minha ficha já caiu sobre o tanto que eu fui cretina com você, moço... Mas não é por isso que eu já consigo escrever sobre isso. 
Eu até tentei - Tentei MESMO, juro. Tentei te escrever meia duzia de palavras bonitas que você ia encarar como o #meujeitinho de te dizer "Foi mal, cara, eu não deveria ter escrito tanto texto bonitinho pra outro cara enquanto eu tava com você, nem ter sido tão sincera, nem ter limitado tanto a coisa legal que a gente tinha, nem ter me mostrado tão dividida quando na verdade eu sabia bem o que queria, só tinha medo" etc.
 'Cê me conhece, moço, e sabe que eu DE VERDADE tentei - porque é isso que eu faço pra exorcizar as coisas: Eu escrevo sobre elas. Mas não deu. 
Ainda não dá.
Talvez algum dia a gente saia pra tomar uma cerveja, falar dos velhos tempos, discutir a vida, falar dos erros, dos acertos e dar risada das trombadas que a gente deu enquanto tentava fazer a coisa certa e, entre um mea culpa e outro, eu fale que eu SEI que fui babaca, que eu já pego minha cota de erros no nosso "relacionamento" e é por isso que eu não consigo ficar brava com você mesmo sabendo que eu poderia muito bem nunca mais olhar na sua cara caso tivesse uma dose boa de rancor no meu coraçãozinho. E aí, nesse dia, eu vou te pedir desculpas e dizer que aprendi e não faço mais isso, que agora eu demonstro meus sentimentos e não sou mais uma "piscina rasa onde você não pode mergulhar porque a chance de dar merda é gigantesca" e que agora, quando eu gosto de alguém, eu não limito as oportunidades por um medo irracional de me envolver e ser desprezada (porque isso pode acontecer eu me controlando ou não, né? Pra quê tentar tirar da cabeça o que não sai do coração?).

Um dia, moço, eu te conto a história toda se você quiser ouvir.
Mas pra escrever acho que ainda não dá.
Acrescenta isso na lista de desculpas também - porque se tem alguém que merece todos os textos bonitinhos do mundo é você, por todas as vezes que você me fez sentir a pessoa mais bonitinha do mundo e eu nunca demonstrei e por todas as vezes que você foi a pessoa mais maravilhosa do mundo e me fez ficaar cheia de orgulho (incluindo meu aniversário de 2011 - risos) e eu nunca falei.

Vou trabalhar nesse texto que você merece mesmo depois de todo esse tempo. Juro.


(Mas por enquanto fica com essa prévia)



E não se esqueça que eu sou um Charmander.

Oi, meu nome é Beatriz (and welcome to Jackass)

...E consigo causar a unanimidade entre meus amigos, mesmo eles sendo dos mais variados tipos e crenças, sempre que faço uma coisa por impulso.
Assim que faço as minhas merdas e conto todos eles mandam um "porra, Beatriz" sincronizado.
Não há outra reação, é sempre "Porra, Beatriz!"

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

TOP 5 "vídeos da internet que vejo sempre quando estou de mau humor"

5. Rapaz com problema de dicção mata rival que o chamou de Pato Donald






4. Você… Você é o Pelé?





3. Russian Reaction to Meteore




2. Naked man turns himself into a haybale





1. Nossos parabéns ao Freitas




domingo, 28 de setembro de 2014

Um tango argentino me vai bem melhor que um blues

Você tá na sua, tentando tirar da cabeça o que não sai do coração (cof) e se divertindo como pode, como dá, e essas coisas que você faz quando quer esquecer ou pelo menos deixar pra lá por um tempo porque "aff, precisa pensar nisso AGORA?"... E aí se pega ouvindo aquela música  e acaba percebendo que ela também te faz  lembrar que ele existe e isso explica o porquê dessa música ter caído tanto no seu gosto... 
É foda.
E é foda mesmo, né?
Porque é domingo.
Você já passou do momento de se apaixonar pela vida (sentimento comum pós almoço de domingo) e já está carente e mimimi e naquele momento em que seus "relacionamentos aleatórios" perderam a graça porque não é bem isso que você quer - não hoje que seu time tomou uma virada envergonhante - e... 
É foda, né?
Porque a "coisa" nem sempre é "coisa" recíproca: Quem eu quero não me quer e quem me quer eu quero que vire uma supernova e exploda e é assim que é... Porque quem eu quero quer aquilo que eu não quero - embora eu não saiba muito bem o que eu QUERO, o que eu NÃO QUERO está bem claro - e ai a gente fica super carente, cada um de um lado... Tem vontade mas não tem oportunidade. Tem oportunidade, mas também tem medo.
É foda, né.
Domingo.
Não é pra fazer sentido.








(Meu Deus do céu, eu estou com a impressão de que essa década não acaba nunca)

Got me looking so crazy right now

Estou me sentindo tão poderosa (pre-pa-ra) que não será nenhuma surpresa se começar a tocar a introdução de "Crazy in love" quando eu entrar nos lugares a partir de agora.




sábado, 27 de setembro de 2014

DE QUAL LADO VOCÊ ESTÁ????

CASABLANCA



Ilsa: Mas e a gente?

Rick: Nós sempre teremos Paris. Nós não tinhamos, nós tinhamos perdido até você aparecer em Casablanca. Nós pegamos de volta noite passada.

Ilsa: Quando eu disse que nunca te deixaria...

Rick: ...Você nunca irá. Mas nós temos um trabalho a fazer também. Para onde eu vou você não pode ir. O que eu tenho que fazer... Você não pode fazer parte disso, Ilsa. Eu não sou bom em ser nobre, mas não preciso muito pra ver que os problemas de três pessoas não signifnicam nada nesse mundo louco. Um dia você entenderá isso. Agora... Ele está olhando pra você, menina.





O MELHOR AMIGO DA NOIVA 

Tom: Bogart colocou-a no avião.

Thomas (o pai): Bogart era um covarde.

Tom: Bogart era um covarde?

Thomas: O Maior deles.




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Hi! My name is (what?), my name is (who?) My name is (chicka, chicka) Beatriz

E, quando eu nasci, Deus apontou pra mim e disse:

 "Menina, você vai curtir arrumar sarna pra se coçar. 'Cê vai ter períodos de ficar bem sossegada e feliz... Mas quem te conhece vai saber que é só aparência, porque você vai ser do tipo que não consegue sossegar de verdade. Vai ser divertido e, pro seu azar, você vai ser um imã pra maluco - O que significa que todo maluco vai gostar de você, todo maluco vai querer ser seu amigo ou achar que pode ser mais do que isso... E, menina, você vai brincar com fogo... Cuidado pra não se queimar!"

Porque só isso explica.
Quanto mais eu rezo mais assombração me aparece.



I don't give a fuck, God sent me to piss the world off

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A incrível história...

...da jovem que não consegue fazer um maldito "E" com a mão pra fazer a ~coreografia~ de L.O.V.E. Banana pra brincar com os amigos no skype.




Das músicas que revelam uma obsessão que deve ser tratada (4)

Esse Cara Sou Eu - Roberto Carlos

O cara que pensa em você toda hora
Que conta os segundos se você demora
Que está todo o tempo querendo te ver
Porque já não sabe ficar sem você

E no meio da noite te chama
Pra dizer que te ama
Esse cara sou eu

O cara que pega você pelo braço
Esbarra em quem for que interrompa seus passos
Está do seu lado pro que der e vier
O herói esperado por toda mulher

Por você ele encara o perigo
Seu melhor amigo
Esse cara sou eu

O cara que ama você do seu jeito
Que depois do amor você se deita em seu peito
Te acaricia os cabelos, te fala de amor
Te fala outras coisas, te causa calor

De manhã você acorda feliz
Num sorriso que diz
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

Eu sou o cara certo pra você
Que te faz feliz e que te adora
Que enxuga seu pranto quando você chora
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

O cara que sempre te espera sorrindo
Que abre a porta do carro quando você vem vindo
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama

Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu


Espero o dia em que essa música vai ser tratada com a frieza que merece. Um cara carente (O cara que pensa em você toda hora), ciumento e meio violento (O cara que pega você pelo braço, esbarra em quem for que interrompa seus passos), grudento (E no meio da noite te chama pra dizer que te ama) e assustador (Apaixonado te olha e te diz que sentiu sua falta e reclama). Eca.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

The greatest thing you'll ever learn is just to love and be loved in return

Eu quero que ele seja feliz.
Do fundo do meu coração eu quero que ele seja feliz. De verdade.
Quero que ele encontre alguém com quem possa passar horas (dias, meses, anos) achando que tudo vale a pena, achando que até os piores defeitos e problemas podem ser contornados porque no final o esforço compensa.
Quero que ele olhe pra alguém com os olhos brilhantes, que sinta o coração disparar e sinta um vazio no estômago de ansiedade quando a pessoa está se aproximando. Quero que ele tenha medo de perder essa pessoa, um medo bobo porque ele sabe que é besteira pensar em coisas assim, principalmente porque quero que essa pessoa goste dele o mesmo tanto.
Quero que ele queira ter um relacionamento assim.

O problema - o maior problema do mundo - é que EU quero ser essa pessoa. Eu me qualifico perfeitamente para esse papel.


do twitter




Conhece-te a ti mesmo que eu me conheço bem

Autoconhecimento é uma benção. De verdade.
As únicas surpresas que eu tenho são as que vem dos outros, porque eu conheço tudo sobre mim... Até a mais simples reação é esperada - o que não quer dizer que eu curta tudo o que eu faço, que eu me ame e aceite incondicionalente todas as coisas que eu sei que farei com as coisas que acontecem... Mas isso é outro papo.



A questão é: Eu acho que sou tão óbvia (pelo menos pra mim) que acredito que qualquer pessoa que prestar um pouquinho mais de atenção é capaz de me ler e me adivinhar... O que nem sempre é uma coisa boa, de novo, mas é algo que eu desejo com um pouco mais de vontade do que quero admitir.

Gostaria que alguém prestasse atenção suficiente apenas pra saber o óbvio que eu deixo escancarado.

Já seria tudo TÃO mais fácil.


Bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Just for me, baby ,you understood then I was afraid to try to call you mine...


Eu sempre me lembro daquela cena do "O melhor amigo da Noiva" (a versão masculina de "O casamento do meu melhor amigo") em que o Patrick Dempsey e a menina com cara de choro estão num mercadão e ele encontra um cachorro parado, brinca com ele e solta um "eu te amo", daí ela diz algo como "É mais fácil você dizer que ama esse cachorro do que dizer que ama alguém" e eu não lembro do que ele fala depois porque eu tô ocupada demais digerindo o quanto isso se parece comigo.



Só digo uma coisa: É que tanto faz se o cachorro vai me amar de volta porque, sinceramente, não me importa. É o tipo de amor que eu distribuo na cota do "amor altruísta".
O que dá medo, o que me impede de dizer que eu amo algumas pessoas (mesmo quando é amor mesmo) é o medo de não ser amada de volta o suficiente e ter uma porta fechada na cara do meu "eu te amo".
Entendem? Não tenho o despreendimento necessário pra liberar o amor e deixar o amor ser o que poderá ser, etc etc

When something is lost I wanna fight to get it back again

Eu abro as pernas com mais facilidade do que abro o coração porque a dor que eu sinto ao abrir as pernas ( ͡° ͜ʖ ͡°) passa em um ou dois dias no máximo... Mas e um coração partido, quanto tempo demora pra ficar inteiro de novo e pra parar de doer?

Você pode dizer o que quiser e eu também posso tentar descrever de muitos jeitos... Mas nada - NADINHA - do que eu escrever aqui vai te convencer do que eu sinto a menos que você já tenha sentido também.





When signals cross... I wanna put a little straight on it
If there's no love... I wanna try to love again

Até nas coisas mais banais pra mim é tudo ou nunca mais!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH

PUTA
QUE
PARIU




das séries: "Palavrões que nunca direi em voz alta", "eu sei que é paranóia, mas..." e "Eu poderia tentar explicar, mas você não entenderia mesmo que tentasse, então eu fico quieta e, menosprezando sua inteligência e seu poder de compreensão, boto mais uma colherzinha de terra em nosso relacionamento (?)" e - minha predileta - "relacionamento?????? que relacionamento???????"

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

TOP 10 - Art Popular

Terminando a Trilogia Sagrada do Pagode anos 90 hoje é dia de falar do Art Popular, banda de São Paulo que começou nos anos 80 e, como as outras duas, só foi fazer sucesso pra valer na década seguinte. A formação original da banda tinha Leandro Lehart, Márcio Art, Denilson Pimpolho (CHOCADA que o sobrenome artístico do cara era Pimpolho), Tcharlinho Brawn, Evandro e Malli.

Formação original do Art Popular no backstage da gravação do clipe "As long as you love me"-NÃO, PERA!



As músicas do Art Popular tinham um pé em outros rítmos, como o sertanejo (Ou você não sabe que quem canta Fricote é o Daniel?), o samba eletrônico (que eu não faço a mais puta ideia do que seja, mas eu vi na wikipédia e tô colocando aqui) de Requebrabum e o samba funk de Agamamou... E, se você reclama do Kuduro do Latino (risos) a culpa provavelmente é um pouco deles também - já que Pimpolho misturava samba com música eletrônica jamaicana - ('Cês também não acham que é um PUTA ERRO GEOGRÁFICO E PEGADINHA DE VESTIBULAR a Jamaica não ficar na África? Até hoje eu tenho que pensar uns 30s antes de falar da Jamaica pra não cometer uma gafe)


Aliás, olhando os artigos da Wikipédia fazendo pesquisa sobre a banda eu descobri que não é o Lehart quem canta um monte de clássicos do Art Popular, mas sim o Márcio Art.
Você sabia disso?
Eu não - e nem o Danilo que é o maior fã do Art Popular que conheço (aliás, esse TOP 10 teve uma boa ajuda dele).
É o Márcio quem canta "Utopia", "Ôa Ôa", "Percepção", "Valeu Demais", "Nani", "Trapaça", "Temporal", "Encontro", "Quando você me beija", "Maneiras", "História sem fim", "Tá Doendo demais essa saudade" ,"Carícias", "Sem Abuso", "Eternamente feliz", "O meu fraco é mulher" e "Samba do DJ" e a gente nunca deu a menor bola pro cara.
Aliás, sabe a banda Amigos do Pagode 90, que é formada pelo Chrigor, pelo Salgadinho e por um terceiro cara que a gente nunca lembra quem é? Então. Esse cara é o Márcio Art!
Pois é, moçada. Esse cara é provavelmente o anônimo mais conhecido do mundo do Pagode dos Anos 90. VAMOS VALORIZAR!


*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.**.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*

#BÔNUS - Sai da Frente


"É diferente o balançar na ladeira"



A faixa bônus hoje vai no começo porque resume basicamente os temas das músicas do Art Popular fase clássica.
Mais didático impossível: Ouvindo essa você entende todas.
Tem sentimento? Tem.
Tem putaria? Tem.
Tem um ligeiro abuso, versos dúbios que não passariam pelo crivo feminista? Com certeza.
Tem interjeições e onomatopéias que parecem que estão ali apenas porque o Lehart não conseguiu achar uma rima boa pela musicalidade? É O QUE MAIS TEM!

Preciso: 
( ) de você 
( ) do seu amor 
( ) de um pouco de carinho, amor 
( ) de sambar
( ) de sambar
( ) de sambar
( ) ô Ô ô ÔÔ
(x) Todas as anteriores




"Pimpolho é um cara bem legar
Pena que não pode ver mulher
Na dança ele já pede pra baixar (Já pede prá baixar)
Ela quer parar ele não quer"

A década de 90 foi aquela  época que a gente olha com um pouco de estranheza hoje porque muita coisa absurda aconteceu lá e a sociedade nem tchuns. O Art Popular não passou ileso dessa fase, é claro, e trouxe muito mais de duas músicas com um alto teor de coisas duvidosas na letra. 
Juro pra vocês que não é o Eddie Murphy em
"Um Príncipe em Nova York"
O Pimpolho era, nos anos noventa, um lesk que cercava as menininhas na balada e incomodava geral que só queria dançar, chegando ao nível de ser um pouco abusivo. Nas palavras do próprio Pimpolho: "O Lehart fez a música porque eu tinha muitas amigas". SEI.









Bom-Bocado é uma música sobre um aniversário infantil suburbano nos anos 90. 
Bom-bocado? Tem. Brigadeiro? Tem. Danças com coreografia dúbia? Ô se tem. 
Trecho que todo mundo canta errado porque não consegue entender a letra? Tem.  
Essa música é obviamente sobre o que acontecia DEPOIS do "Parabéns": As criancinhas iam embora/iam dormir e só sobravam os tios que tinham bebido demais e acabavam fazendo coisas... er... Sei lá... Analisem aí.


"O violeiro, toca e se toca 
De olho no xibiu da morena 
Ai que zueira, que festa de arromba 
Põe essa galera pra sambar"






"Sem abuso e (sem) amigos"
"Eu no meu orgulho
E você não diz nada
Tanta gente no veneno
E eu sem você"


Essa música obviamente é o começo da consciência de que tinha ALGUMA COISA ERRADA com a atitude do Pimpolho.  Eu digo começo porque, né: "Que o amor é maior que tudo - Do que eu e você, você e eu" é um jeito bem errado de classificar o "Ela quer parar ele não quer". Pego emprestado uma quote do Molejo (que também tem muita música errada, mddc) pra dizer que isso não é amor, é cilada.









Lehart entregando a idade
com essa música.
"Passa!
No pagode da amarelinha
Se liga!
Vê se mexe mais
Não sai da linha
Alisa!
Tira essa peruca
Da banguela
Se liga!
Quem chegar primeiro
Beija ela"

Já que eu falei de Molejo, os campeões de música pra festinhas de criança, vale colocar o Pagode da Amarelinha aqui. Aqui vale o cenário da festinha de "Bom bocado", só que antes do "Parabéns". Essa música, bem como qualquer uma do "É o tchan" e do "Molejo" botava todo mundo pra dançar: A Aninha, o Zezinho, o João Grandão, a titia solteirona, a vovó com a bengala... Todo mundo.
Mas eu duvido que alguém sabia cantar a música corretamente. Aposto que vocês pediam pra mexer mais a galinha e não faziam a mais puta ideia do que era.


7. Nani


Apenas mais uma:

Está feliz. Lindo e feliz.




"Tudo o que a gente passou 

Tudo, tudo que a gente criou 
Foi maravilhoso, inesquecível, demais



Tudo o que a gente brigou 
Todas que a gente dançou 
Foi maravilhoso, inesquecível, demais"


Gosto: dessas músicas que não olham o passado com rancor. Você admite que o rolê foi bom, que acabou e você fica chateado com isso... Mas não acha que foi tudo uma merda, que não vale a pena nem lembrar.

"Mas você não está aqui !
Mas... por que que isso aconteceu?"

Não gosto: De gente que tem amnésia e não consegue perceber os motivos que levaram ao  fim. AMG, OLHA O RELACIONAMENTO ABUSIVO QUE EXISTIA! 'Cê não sabe mesmo por quê acabou?
Eu quero dizer agora, sem onda, sem hora: SE TOCA, CARA.




Essa é a história de um pobre e a princesa, só que sem ser contada pelo Netinho de Paula. Gosto porque ela não faz o complicado e demonstra que o cara tá pronto pra recomeçar e esquecer os fracassos anteriores.

"Muita gente não se envolve
Só por medo de sofrer
Mas no caso desse acaso
Só quem vive prá entender"


E gosto também que o cara não tem a pretensão de explicar o que é o amor e diz que amor é quando a moça o beija. Simples. Bonito. Digno de redenção.



Falando de beijos e recomeços... Você acha que o cara tá de boa, que tá aprendendo e aí ele vai e manda essa: 

"Eu olho pra você
E você não me quer mais
Eu pego em suas mãos,
Você não quer tentar, tentar
Recomeçar do abraço
E do primeiro beijo"

Amigos, essa é uma música que certamente demonstra uma obsessão que deve ser tratada. Fiquem de olho nas pessoas que não sabem levar um NÃO.


"Requebrabum
Baram bam bam
A corda do cavaco
Baram bam bam
Pegou bem no sapato
Baram bam bam
A corda do cavaco
Baram bam bam
Pegou bem lá embaixo
Agamamou, love love love
Jhôu Jhôu
Hê! Hê!
Tá querendo balançar"


Coloquei essas duas juntas porque um DJ competente consegue colocar as duas músicas num remix bacana e ninguém percebe quando uma começa e a outra termina.
E eu posso OU NÃO ter essas duas músicas no celular e posso OU NÃO ouvir e cantar de vez em quando fazendo dancinhas tipo esse cara (só que sem a churrasqueira).


2.  Fricote

( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°)
( ͡° ͜ʖ ͡°) "Eu vou te lambuzar de água-de-coco"  ( ͡° ͜ʖ ͡°)
( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Gosto dessa música porque é pagode E sertanejo dos anos 90. Tá certo que nem o Art Popular é minha banda predileta, nem o Daniel (com ou sem João Paulo) são os meus prediletos em termos de pagode e sertanejo... Mas eu gosto dessa música assim, eu adoro assim, desse jeito assim.



Daniel Pereira sempre diz que
o Felipe Massa faz um "temporal".
A polissemia tem limites, moçada.


"Ah ah ah ah ah ah ah!

Ai! Desabou!
Me iludiu!"

É aquele momento da vida de casal em que a gente percebe que tem alguma coisa errada e que vai dar bosta. Clichê da música, toda banda tem pelo menos uma música que fala disso.
Mas o que eu gosto no Art Popular é que, sendo uma banda de São Paulo, eles deveriam saber que em noites de verão GERALMENTE CAI UM TEMPORAL DO CACETE mesmo. Não é novidade.

"Cadê aquele nosso amor
Naquela noite de verão
Agora a chuva é temporal
E todo céu vai desabar"




*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.**.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*




Esperto foi o Marcio Art no fim das contas.
Pegou toda a grana, mas passou longe das críticas dos anos 2000 porque ninguém faz a mais puta ideia de quem ele seja.



domingo, 21 de setembro de 2014

Coisas que você precisa saber sobre mim (pt 1)

Eu não gosto de quase ninguém, mas as pessoas que eu curto tem uma coisa em comum: Não se levam a sério. Não se ofendem facilmente. Não desistem. Não fazem mimimi. Tem um quê de bom humor que faz ver tudo de um jeito mais feliz engraçado .

sábado, 20 de setembro de 2014

Tão lancinante que ao olhar pra trás agora só me restam devaneios do que um dia eu vivi

Preciso das histórias destrinchadas, contadas com detalhes sórdidos e picantes. Preciso. Preciso muito pra deixar que elas passem por mim e que eu consiga voltar nelas apenas com a intenção de rir e ser nostálgica.  
Os detalhes me torturam por um tempo, mas a ausência deles me atormenta pra sempre, porque o que eu não sei eu imagino... E não há nada pior pra mim do que a minha imaginação demoníaca aliada ao meu masoquismo stalker.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Homem "É o Tchan"

Aquele que fala mas não pega.

Das músicas que revelam uma obsessão que deve ser tratada (3)

A Cada Dez Palavras - KLB

Faz tanto tempo que eu venho te seguindo
Conheço passo à passo todos seus caminhos
Sei a hora que acorda e a hora em que vai dormir
Sei tudo de você, e você nada sabe sobre mim
Eu descolei pra mim o seu telefone
E te liguei, mas, eu não quis falar meu nome
Tive medo e quando ouvi a sua voz na hora desliguei
E confesso na verdade me faltou coragem pra dizer.

Cada dez palavras que eu falo onze é você
Cada rosto que eu olho em todos vejo você, ahahah...
Tentei mil vezes te esquecer mas no fim
Mil vezes desejei você só pra mim.

Eu dei um tempo, uma hora um pouco mais
Até criar coragem pra te falar
Mas antes de ligar de novo quis tentar uma vez mais
Assim ter forças pra te encarar.

Cada dez palavras que eu falo onze é você
Cada rosto em que eu olho todos vejo você (vejo você)
Tentei mil vezes te esquecer mas no fim (mas no fim)
Mil vezes desejei você só pra mim (só pra mim).

Cada dez palavras que eu falo onze é você, (uma é você)
Cada rosto em que eu olho todos vejo você, (vejo você)
Tentei mil vezes te esquecer mas no fim, (mas no fim)
Mil vezes desejei você só pra mim.

Cada dez palavras que eu falo onze é você, (uma é você)
Cada rosto que eu olho todos vejo você, (vejo você), ahahah...
Tentei mil vezes te esquecer mas no fim, (mas no fim)
Mil vezes desejei você só pra mim
Mil vezes desejei você só pra mim!




____

Tá certo que o público alvo do KLB era o das adolescentes que beijavam folhas de diário e não tinham coragem de declarar os sentimentos... Mas "Sei a hora que acorda e a hora em que vai dormir sei tudo de você, e você nada sabe sobre mim" É BEM ASSUSTADOR, hein?

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

TOP 10 - Negritude Jr

Ninguém sabe o que significa "Carapicuíba".
Sabem que vem do Tupi e que pode significar um monte de coisas (todas ruins), tipo "pau podre", "peixe que não se pode comer", "aquele que se reúne em poços", "cascudo", "escamoso"... Mas ninguém pode dizer exatamente qual desses aí se refere à cidade da Zona Oeste de São Paulo.
Eu, que sou de Osasco e passei algumas tardes de domingo em Caracas City, ouso dizer que "aquele que se reúne em poços" é um bom significado. Pelo menos pra esse texto. Pelo menos pra falar da banda de hoje, que saiu dessa cidade pra ganhar o Brasil nos anos 90.
Hoje o Top 10 fala do segundo vértice do triângulo mágico do Pagode dos Anos 90: Negritude Jr.



Agora sim: É NÓIS (em P&B pra ser artístico).


Os integrantes originais da banda eu só sei falar se for com a letra da música (solte o Jackson 5 que existe em você e cante no ritmo. Eu sei que você conhece): "Netinho, também tô chegando..." "Querido, Waguinho!" "Não vou te deixar sozinho! Tô levando o NenêAriFeijãoClaudinho e o Fabinho..." "Pede pro Lino me levar o sax *solinho de sax* que a festa vai rolar até tarde e avisa o Chambourcy que tem Danone* à vontade".
Diz a Wikipédia lenda que a banda, mesmo sendo de Carapicuíba, foi descoberta em Osasco (até nisso somos melhores, Caracas City! Suck this mango!), numa tarde de domingo, na Praça do Samba (que passa bem mesmo depois de um meteoro ter caído lá, risos), e que o nome (Negritude Jr, dã) saiu no calor do momento, numa espécie de desabafo do Waguininho por terem conseguido finalmente chamar a atenção de um produtor (Osasquense, mas mesmo assim)...  
E ok, eu posso lidar com um berro de "AQUI É NEGRITUDE, PORRA!", mas o "Jr" eu nunca entenderei. Por que Jr? Por que não apenas Negritude? Perguntas, perguntas... Se Netinho de Paula tivesse sido eleito senador eu mandaria essa pergunta para ele - acho que seria um bom uso dos canais de comunicação que temos com os nossos representantes.
Mas vamos ao TOP 10, que é o que importa!
O critério é o mesmo de sempre: Meu gosto apuradíssimo.

~*~*~*~*~**~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~


"Quando olho no espelho
Os meus olhos tão vermelhos
De tanto chorar, de tanto chorar"

Tenho uma teoria de que são ESSES os olhos vermelhos que o Dinho Ouro Preto diz que voltaram na música do Capital. Na verdade, se você ouvir as duas músicas na sequência vai perceber nitidamente que é O MESMO CARA sofrendo por duas paixões. A única coisa que muda é a atitude que ele tem perante o sofrimento.
Negritude é pagode, e pagode é sofrimento, então ele fica SE MARTIRIZANDO, se olhando no espelho pra ver se fica bem com os olhos vermelhos e inchados de tanto chorar (e, se fosse nos dias de hoje e não nos anos 90 certamente ele ia postar uma foto no Facebook com esse look sofrimento)... E Capital é "rock" atitude, "vamos sobreviver à essa porra e continuar a vida".
De qual lado você está? Eu escolho O LADO DO BEM: Homens sensíveis que não tem medo de mostrar o sentimento #teamnegritude.

A música "Olhos vermelhos", do Capital Inicial foi trilha do filme "Dom"
 baseado no livro "Dom Casmurro", que tem o ciúme como um dos temas
principais. Se Bentinho tivesse escutado mais "Negritude Jr" certeza
que teria sido menos louco.




Tentando dar flagrante no meu coração
Você é absoluta
E na minha conduta quem manda é a paixão"



Essa música de 1995 alerta sobre os perigos do ciúme. É uma mensagem óbvia e direta sobre procurar chifres em cabeça de cavalo: Perda de tempo. Moçada, fica um alerta: Vocês são todos absolutos, ter ciúme é uma coisa ruim. Ouçam o Netinho: Ter ciúmes é deselegante. Sandra Annenberg concorda.





"Não faz assim,
Que o ciúme é traiçoeiro
e faz o amor maneiro se acabar
Não faz assim
Que o teu chamego
tem o cheiro e o tempero
pro meu paladar
É tão ruim
Ver o ciúme dormir no seu
travesseiro pra te perturbar
Eu estou de corpo inteiro pra te amar"

Acho que essa música deveria estar alguma cartilha para manter os relacionamentos saudáveis. Acho mesmo. De verdade.




"Não tenho mais palavras pra dizer te amo e não deixo você nesse mundo, por nada."

Se Alexandre Pires era um cara inseguro e dependente da mulher amada, o Netinho é o oposto: Um cara apaixonado, porém seguro e fiel aos próprios sentimentos. Netinho não tem medo de dizer “Eu te amo”, não diz que ama apenas depois que perdeu (Perdeu, Alexandre, perdeu) e por isso... Não perde.

“Adoro ouvir quando diz
Vem pra mim, me deseja
E me olha nos olhos me abraça
Me agarra, me beija”



Manter o fogo da paixão aceso: Netinho de Paula sabia.


7. O Beijo
Essa música, junto com Mulheres, do Martinho da Vila, poderia estar numa apostilinha para adolescentes BVs entenderem o básico do lê lê lê. Existem MIL MANEIRAS DE BEIJAR.

“Beijo agarradinho, beijo estaladinho
Beijo enciumado, beijo delicado
Beijo inocente, beijo indecente
E tem aquele beijo que arrepia a gente
Beijo suadinho, beijo gostosinho
Beijo bem docinho, beijo salgadinho
Beijo com suspiro, beijo chupadinho
Beijo geladinho, beijo mais quentinho
E tem aquele beijo com gostinho de morango
Beijo de romance americano
Tem aquele beijo com o sabor de chocolate
Beijo brasileiro, dezoito quilates
Beijo bem guloso ai, ai
Beijo perigoso hum, ai
Beijo bem manhoso ai, ai
Beijo bem dengoso hum, ai”

As duas músicas também são grandes declarações de amor vindas de dois grandes pegadores (Netinho afirma que é um "grande beijoqueiro"), porque eles já beijaram muuuuuuuuuuuito, já tiveram mulheres de todos os tipos e agora estão enamorados e esse amor é tão grande. Novamente, é o lado apaixonado, fiel e sensível de Netinho de Paula vindo à tona.

“Mas o teu beijo é que me dá um nó... São todos esses beijos num só (...) É beijo de língua, sempre molhadinho, cheio de paixão”




Estamos quase na metade do TOP 10 e até agora podemos dizer - com certeza – que os dois temas prediletos do Negritude são: ciúmes e declarações de amor. Se juntar as duas coisas, então, é certeza de hit. Tipo “Porcelana”.
Essa música também evidencia a rixa Britney x Xtina do pagode anos 90: Enquanto em “Depois do Prazer” o SPC dizia que ‘tava tudo certo em transar com outras pra aliviar o tesão, o Netinho bateu o pé e disse: NÃO.
E praticamente assumiu que na hora H ele broxava porque não conseguia parar de pensar na mulher amada. Isso explica tanta coisa, mas tanta... Tipo a constante alegação de que a moça não precisa ter ciúme, né? Fia, fica tranquila que o brinquedinho só funciona com você. Nem quando ele tenta dá certo com outra.

"Na minha cabeça, no meu pensamento
Não há mais espaço pra paixão cigana
O meu corpo já não tem consentimento
Pra deitar com alguém que o coração não ama
Eu sei muito bem que um grande amor é feito
Como um bibelô de fina porcelana
Que se quebra facilmente
Quando um ao outro engana"



Eu gosto dessa música por causa da segunda voz desse trecho:

"Eu ainda amo você (não vá embora)
Preciso muito te ver (te quero agora)
Dentro do meu coração
Ficou esse silêncio falando de amor
Não sei sonhar sem você (você faz falta)
Não sei viver sem você (você faz falta)
Nada acabou entre nós”

Apenas por isso.
ESSA é a mãozinha de sofrimento.
 A Mary J Blige domina essa técnica.
E porque eu tenho uma coreografia de grupo de pagode toda especial pra esse trechinho, que envolve a mãozinha do sofrimento, várias expressões faciais e aquele passinho que o Coisinha de Jesus fazia no Casseta & Planeta.
É claro que eu não posso ignorar que, como homem sensível que é, Netinho fez nessa música o que muitos machões não fazem após o fim de um relacionamento: Implorar de joelhos para a moça voltar... Mas eu nunca fiz uma análise mais profunda porque estava ocupada demais de olhos fechados e com a mão no coração cantando e coreografando.







"Existia uma dor em mim
Mas preciso continuar
A tristeza chegou ao fim
E esse louco desejo
Nos une devagar
E aos poucos lhe vejo
Querendo se entregar”

Se fosse na gringa essa música poderia bem ser trilha sonora de filme adolescente onde duas pessoas levam pé na bunda/sofrem por outras pessoas e se aproximam na miséria pra depois se apaixonarem. Ouso dizer até que essa música, pelo ritmo sério, ficaria bem em “O lado bom da vida” e daria o tom para o professor bipolar e a dançarina viúva depressiva.


Conduzindo meu coração rs

“O amor me pegou assim
Conduzindo meu coração
E por mais que eu lhe diga não
Dessa vez veio pra ficar"



Para os HATERS que dizem que Negritude é puro mel e veneno para diabéticos eu digo que eles tinham SIM um pezinho nas putarias, como fica explicito nessa música:

“Esse swing tá legal demais
Todo mundo curtindo a vontade
Nesse clima só rola amizade
Veja lá se percebe o detalhe
Atitude no amor é que vale”

Eles iam a casas de swing, vejam só vocês!
E, se bobear, essa é a FESTA NA CASA DO EDMUNDO que o Manieri comentou na música!
Reparem que é um swing maneiro com Claudinho & Buchecha, Sandra de Sá, Gabriel (o Pensador?)... E, possivelmente foi em uma dessas idas que Netinho descobriu que o Negritude Neto só funcionava com a pessoa escolhida... Porque, vamos combinar, o cara foi numa casa de swing e só falou de AMIZADE,  só procurou PARCERIAS MUSICAIS ("É o nosso som que vai rolar")... Certeza que não curtiu nada e ficou de fora só como voyeur, porque nem grandes parcerias com essas feras aí rolou depois do prazer, né? Triste.
Eu só fico pensando que se a moça era aquela ciumenta neurótica existe uma grande possibilidade dela ter jogado uma macumba pro Negritudinho não sambar miudinho, né?
Mas se o Netinho não pensou nisso não sou eu quem vai dar as ideias. Aprendi direitinho (com o próprio Negritude) que não se procura chifre em cabeça de cavalo. Se ele tá feliz, se é a alegria que satisfaz, tá tudo bem.



"Tana... Tanajura... Jura que me ama”


Porra, Jotalhão!


Quando eu conheci essa música achei que era finalmente o Jotalhão se declarando pra Rita Najura o que – levando em conta essa coisa romântica do Negritude que não tem medo de expor os sentimentos – era bem possível.
Depois, quando eu finalmente associei o nome Rita Najura com Tanajura, que é uma formiga de bumbum grandão, eu entendi que não era possível que fosse.
Era sobre mulheres curvilíneas e homens que querem um relacionamento sério (o corpo sendo só um bônus no caso). Netinho é um cara tão certinho e apaixonado que ele consegue tornar até uma música sobre desejo carnal e lascívia numa coisa bonitinha. 

 “Vem cá e beija minha boca
Você é uma coisa louca
Eu quero te agarrar

Que perna grossa
Assim não há quem possa
Ai minha nossa
Não dá pra resistir

Eu quero um caso sério
Não tem mistério
É só dizer que sim
Menina tanajura jura que nasceu pra mim”



"Acabaram com a história da princesa e do plebeu " é uma clara
referência à epoca que Netinho deixou o SBT e foi pra Record.
Não vê quem não quer.
“Acabaram com a história da princesa e do plebeu.
Pra que tanto sofrimento se o seu grande amor sou eu?”

Os compositores do Negritude Jr certamente sabiam o que estavam fazendo. Certamente sabiam como criar um hit. E os produtores do Programa do Gugu certamente eram fãs do Negritude, ou pelo menos ouviam as músicas e sabiam dessa obsessão do nosso quase senador por contos de fadas, princesas e romances idealizados.
Só isso explica aquele quadro do Domingo Legal, "Dia de Princesa".
#xatiado por nunca ter cantado com o Rei

Eu fico chateada apenas por ter sido um programa no SBT e não na Globo (os produtores do Faustão certamente estavam confiantes de que as videocassetadas dariam conta da audiência e não se preocuparam em fazer o programa ser mais popular), o que inviabilizou totalmente o único encontro que poderia tornar o Especial do Rei mais atraente. 
Analisem essa releitura de Detalhes, depois ouçam “Ao Som de Roberto” e vocês finalmente entenderão a maior frustração de Netinho de Paula (e, talvez, o que o levou a agredir fisicamente a mulher amada naquele episódio polêmico).



“Se outro pagodeiro aparecer
Com faixas e com flores pra você
E isso provocar lembranças minhas
Com certeza não terá o mesmo valor
Nem coragem pra fazer como eu fiz
A minha intenção foi te fazer feliz.”

Tudo o que ele queria era poder usar um terninho azul e cantar com o Rei, seus insensíveis.

Roberto, um apelo: Give peace Netinho a chance: Ele tá ate usando branco.


*BÔNUS*

Espero que com esse TOP 10 vocês tenham aprendido um pouco mais sobre o Negritude (especialmente sobre Netinho de Paula). A minha intenção era mostrar que os carapicuibanos só queriam unir a música, fazer o pagode ser sem fronteiras e acabar com essa picuinha ridícula de adolescentes de que é um tipo inferior de música.
A grande lição que fica é que O MUNDO PODERIA SER UM LUGAR MELHOR E COM MENOS PRECONCEITOS se Capital Inicial, Martinho da Vila, Só pra Contrariar e Roberto Carlos tivessem dado uma chance ao pagode.
O bônus, então, não poderia ser outro senão um que marca a junção de dois ritmos: Negritude ft Racionais.
Aliás, deixo aqui minha teoria: Roberto não aceitou cantar com eles porque não curte NEGRITUDE, só tons de branco e azul... E Mano Brown se sentiu em casa.

“Esse samba é pra gente da gente
Que vive a pegar no batente
Com sol ou com chuva ou doente
Sabe que tem que trabalhar
Esse povo merece uma medalha
Porque nunca foge da batalha
Essa gente da gente não dá falha
Porque não tem fã de canalha
Essa gente é na gente que crê
Negritude é lição de viver
Juventude drogada pra quê?
Ai meu Deus, o que posso fazer?
Essa gente já sofre demais
São tratados como animais
E só querem um pouquinho de paz
E precisam ouvir Racionais!”

Vou dizer apenas mais uma coisa, o argumento definitivo para estimular parcerias musicais: Essa música inspirou Mc Rodolfinho a compor seu maior Hit: Osasco é o Afeganistão. Reparem no vídeo como a moçada do Racionais canta os bairros da Z/O. A influência é óbvia.
Fica a lição: Se mais encontros entre Negritude e Grandes nomes forem feitos... A música popular brasileira só tem a ganhar.





* Seria o Chambourcy um alcoólatra dado que DANONE não é necessariamente danone? #DESCUBRA